quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Por Nadja Estevez.


Por muitas vezes quando pequena queria ir dormir na casa da minha tia
Meu primo era meu melhor amigo,..
Ele foi o único que se envolveu sem proteções
Nunca fez questão de ser um outro avulso a mim
Nós eramos o mesmo em nossas risadas
Quando ele dormia, o obscuro vinha falar comigo
e eu chorava chorava
até minha tia ter que me levar de volta a casa de minha avó
Isso continua acontecendo
Sem vó nem primo nem tia
Apenas passo noites fumando
matutando como pular essa sacada
 ir ao bar mais proximo
tomar uma pinga e
Esperar o primeiro trem...

3 comentários :

Van disse...

Adorei os textos e o teu espaço e passei aqui para dizer que te sigo desde já ! Grande Beijo.

LETRAS-UNICID-2010 disse...

Excelente o pulo no tempo! Lembrou-me Manuel Bandeira em "profundamente"... muito bom que a linguagem também mudou, o ritmo... Parabéns

Éder Menegassi disse...

Conheçam mais sobre a Nadja:
www.nadja-thereal.blogspot.com